Buscar

5 dicas para pequenas empresas saírem mais fortes da pandemia

por Leonardo Sertã, Head de Desenvolvimento de Mercados do PayPal para a América Latina


Leonardo-Serta. Head de Desenvolvimento de Mercados Latam. Foto: Divulgação


As pequenas empresas desempenham um papel fundamental em nossas comunidades e na economia do País. No ano passado, conforme a pandemia mudou o cenário do varejo e do comércio, esses negócios enfrentaram muitas mudanças. Assistimos diversas pequenas empresas digitais experimentarem um crescimento fantástico atraindo consumidores que se voltaram para os canais digitais. Paralelamente, muitas outras, que mantiveram a atuação apenas no varejo físico, viram suas vendas diminuírem – parte delas sendo forçadas a fechar as portas. À medida que emergimos da pandemia, as pequenas empresas precisam se adaptar, rapidamente, aos novos comportamentos e expectativas dos consumidores. Por isso, reuni cinco dicas que os pequenos lojistas podem colocar em prática agora mesmo, para se prepararem para o sucesso.


Crie uma experiência de compra integrada

De acordo com a consultoria italiana Finaria, as vendas no varejo de e-commerce global atingirão mais de US$ 2,7 trilhões este ano, devendo chegar a US$ 3,4 trilhões em 2025. Esses números expressam que o futuro do e-commerce é estável, sem indícios de queda. Em países como o Brasil, grande parte do crescimento da indústria foi desencadeado pela massificação do smartphone como item essencial no dia a dia dos brasileiros.


O país está no top 3 dos que mais usam a internet via celular – e os brasileiros costumam passar mais de 4 horas por dia em redes sociais. Apesar dessa realidade, muitas pequenas empresas ainda não têm presença online – basta ver os últimos dados da pesquisa "Perfil do E-commerce Brasileiro 2021", parceria do PayPal e da BigDataCorp., que revelam que somente 6,9% do varejo brasileiro está online. E mesmo entre as empresas com presença online, muitas carecem de uma experiência integrada de venda, que conecte seus vários canais, conhecida como multicanal ou omnichannel. Ao possibilitar essa experiência, as pequenas empresas podem atender melhor às elevadas expectativas do cliente.


Por exemplo: muitos consumidores gostam de adicionar um item em seu carrinho de compras online e, em seguida, tê-lo aguardando para ser experimentado na loja física. Ou, inversamente, querem poder experimentar algo na loja física e, se o tamanho ou a cor adequados não estiverem disponíveis, ter o modelo escolhido esperando em seu carrinho de compras online. Para tanto, as pequenas empresas devem se certificar de que seu software de gestão (back-end) seja capaz de integrar itens como relatórios, pagamentos, gerenciamento de estoque e pedidos, em integração perfeita com parceiros terceirizados.


Proteja suas informações e as de seus clientes contra fraude

À medida que empresas e clientes se voltam para a Internet, fraudes e golpes também aumentam no ambiente digital. Cartões de débito e crédito, por exemplo, são um dos principais alvos de novas tentativas de golpes. No Brasil, esse índice bate nos 3,5%. Ou seja, de cada 100 vendas, 3,5 são tentativas de fraude.


Portanto, as pequenas empresas devem monitorar suas transações e contas de clientes para identificar quaisquer sinais de alerta. Por exemplo, se a empresa encontrar informações de envio ou faturamento inconsistentes, que não correspondam aos seus registros, isso indica alguma atividade incomum, que deve ser investigada. As empresas também podem ajudar a prevenir fraudes com ações simples, como exigir que seus clientes criem senhas sólidas e seguras – com um número mínimo de caracteres, incluindo um caractere especial.


Ofereça aos clientes variedade de opções de pagamento

É essencial colocar o cliente em primeiro lugar – e respeitar a sua vontade. Por isso, as pequenas empresas devem permitir múltiplas opções de pagamento para que os consumidores façam suas compras da maneira que preferirem. Por exemplo: oferecer a seus clientes a possibilidade de pagar de maneiras que os ajudem a estender seu poder de compra. Além de boleto, cartões, Pix e vendas a prazo, uma ótima opção é contar com carteiras digitais na hora do checkout, como a do PayPal, que reúne as informações financeiras do cliente (cartões de crédito e débito) e não compartilha esses dados.


Tenha parceiros de confiança para manter o foco no negócio

As pequenas empresas devem garantir que todas as partes do negócio estejam sendo bem cuidadas – e aqui incluo gerenciamento de site, marketing para manutenção e captação de clientes, gerenciamento de back-office, contratação de pessoal, gestão de equipe e atendimento ao cliente.


É muita coisa para pensar. Por isso, é fundamental contar com parceiros de confiança, que facilitem o trabalho de back-end. Assim, o(a) empresário(a) pode se dedicar ao que sabe fazer: vender.


Tome decisões baseadas em dados

Por fim, é vital aproveitar os dados gerados pelo seu negócio de maneira eficiente e, assim, tomar decisões bem informadas. Dados bem gerenciados fornecem uma ampla compreensão do cliente, de suas preferências e geram melhores experiências de compra. Essas informações também podem direcionar ofertas e estratégias de preços, atraindo mais visitantes para sua loja online.

Além disso, o uso eficiente de dados ajuda a evitar atividades fraudulentas e aumenta a confiança e a segurança do consumidor. Em última análise, ao usar informações de forma eficaz, você também pode impulsionar boas campanhas de marketing, o que melhora as vendas.

A pandemia não veio para ficar, mas muitas das novas tendências vieram. Por meio dessas cinco dicas, você pode ajudar a sua empresa a sair desse período em uma posição de força, para ganhar ainda mais mercados quando o cenário desanuviar.




#ECONOMIA #POLÍTICA #EMPREENDEDORISMO #TECNOLOGIA