Carregando ...
 
Buscar

Mercado de transformação digital deverá abrir 15 mil novas vagas nos próximos meses

Sete novos cursos na área de tecnologia têm como meta direcionar a contratação de 80% dos profissionais formados



Uma recente pesquisa divulgada no mês de abril apontou crescimento de 182%, em 2021, nas contratações de profissionais que atuam com tecnologia da informação, se comparado com o ano anterior.


Além disso, o levantamento feito pela startup de recrutamento Geek Hunter constatou um aumento de 136% na oferta de vagas, com potencial crescimento para este ano de 2022. A expectativa do setor é de que mais de 15 mil novas vagas de trabalho para profissionais que atuam com análise de dados e habilidades em tecnologia da informação sejam abertas ainda este ano.

Com a retomada da economia e o crescimento das oportunidades no modelo híbrido muitas empresas estão tendo dificuldades de contratar estes profissionais, que tiveram um crescimento da média salarial.

A visão completa das demandas de mercado faz com que as carreiras de transformação digital gerem oportunidades de salários que vão de R$ 3.500, podendo ultrapassar R$ 20 mil.

"E a tecnologia está cada dia mais acessível. No entanto, o grande gargalo para o crescimento das empresas está na falta de profissionais preparados para atender a esta demanda", explica o CEO da Átile Digital, empresa que atua na área de tecnologia, Denis Valente.


“O mercado aquecido da tecnologia busca pessoas pensantes, que tenham a capacidade de apresentar formas de customizar uma ferramenta e como agregar valor a ela”, reforça Denis. A Átile, além de atuar no mercado de tecnologia, também aloca colaboradores em empresas de clientes que possuem vagas disponíveis.


Profissionalização é a chave


Pensando no aquecimento deste mercado, o Centro Europeu, tradicional escola de profissões de Curitiba, está lançando uma grade de transformação digital com sete novos cursos na área de tecnologia. São eles: analista de CRM, analista de pré-vendas (SDR), gestor de tráfego, cientista de dados, full stack digital marketer, desenvolvedor de aplicações e master mind disruptivo.

“As novas tecnologias auxiliam empresas na automatização de processos e esta mudança amplia em grande escala o atendimento a clientes e consequentemente traz melhores resultados, desenvolvendo novos métodos, com a implantação de ferramentas corretas para a necessidade de cada negócio”, afirma Ronaldo Cavalheri, CEO do Centro Europeu.

Os cursos são voltados para todo e qualquer profissional que tenha interesse em atuar ou saber mais sobre desenvolvimento da estratégia digital, gestão de tráfego, análise de dados, otimização da taxa de conversão, análise de dados e performance, tecnologia de marketing, CRM e automação, entre outras.

Os cursos têm uma carga horária média de 120 horas aulas por curso e começam já no mês de setembro.

Entre os professores estão Francisco Tramujas, head de marketing e vendas; Carlos Diogo de Oliveira, desenvolvedor com formação na área de sistemas de informação; Boby Vendramin, designer e top dez mundial do elementor hub; Taísa Gruber, engenheira mecânica com atuação na área de servidores de internet; Ediney Giordani, profissional com atuação em marketing digital, entre outros nomes.

O foco, segundo Ronaldo, é dar oportunidade a profissionais de diversas outras áreas, mas que buscam um reposicionamento de carreira, e novas profissões com formação ágil e com alta demanda de oportunidades.


"A oportunidade que estamos trazendo é o ingresso do mercado de tecnologia, além da melhoria da renda e oportunidade de construção de carreira. Este é o nosso principal objetivo", reforça.


Parceria


Átile Digital será uma das parceiras do Centro Europeu nessas novas formações profissionais, trazendo todo o seu know how e mapeamento das necessidades dos empregadores nesta área. A empresa tem como meta direcionar a contratação de 80% dos profissionais formados pelos cursos. "O grande objetivo da Atile com a metodologia Centro Europeu nos cursos de transformação digital está em criar uma incubadora de talentos, já que temos como meta a contratação de 80% dos profissionais formados para a Atile e também para os nossos clientes e parceiros", antecipa Denis.

A Atile oferece soluções personalizadas de acordo com a demanda e necessidades específicas de cada empresa.

A gestora de RH da Átile, Flávia Braz, explica que a oportunidade surgiu com a dificuldade de encontrar profissionais prontos nesta área. “Mesmo com a expansão do trabalho remoto é muito difícil encontrar um profissional de tecnologia pronto, com as características e os conhecimentos específicos necessários. Por mais qualificados que estivéssemos para o recrutamento, o tempo para encontrar o candidato certo era de 4 a 5 meses, ainda assim com ressalvas”, conta Flavia Braz.





#ECONOMIA #EMPREENDEDORISMO