Carregando ...
 
Buscar

Will Smith conquista o prêmio de 'Melhor Tapa' no Oscar

Duna e No Ritmo do Coração foram os destaque da noite. Premiação foi marcada também por uma briga entre Will Smith e Chris Rock.



Depois de dois anos com diversas restrições devido a pandemia provocada pela Covid-19, a maior premiação do cinema voltou para casa, o Teatro Dolby, em Los Angeles. Além disso, a cerimônia contou com a volta da capacidade total de público e com o tão aguardado tapete vermelho. O comando da noite ficou por conta do trio feminino: Amy Schumer, Regina Hall e Wanda Sykes.




Destaques


Troy Kutsur subiu ao palco para receber o Oscar. Foto: Rob Latour/REX/Shutterstock



Troy Kutsur fez história ao se tornar o primeiro ator surdo na história a ganhar um Oscar. Ele levou o prêmio de 'Melhor Ator Coadjuvante' por sua atuação em No Ritmo do Coração. A ator fez um discurso na língua de sinais: "Queria dizer que esse prêmio é dedicado à comunidade surda, aos filhos de adultos surdos, e à comunidade de pessoas com deficiência. Esse é o nosso momento. A minha mãe, ao meu pai e ao meu irmão Mark. Eles não estão mais aqui hoje, mas olhem para mim agora. Eu consegui."




Jane Campion venceu na categoria 'Melhor Direção' | Foto: Getty Images



Jane Campion levou o Oscar de 'Melhor Direção' por Ataque dos Cães. Ela foi a primeira mulher na história da premiação a ser indicada duas vezes na categoria. Em 1994, Jane foi indicada pela longa O Piano.




Rainha Beyoncé


Após cinco anos sem se apresentação em premiações, Beyoncé solto a voz inconfundível em uma performance impecável de Be Alive, trilha do filme King Richard: Criando Campeãs. Queen B fez seu show em uma quadra de tênis e honrou a história das tenistas Venus e Serena Williams. A cantora está acompanhada de um balé perfeito que deu ainda mais impacto à apresentação.




Polêmica


Um dos momentos mais polêmicos de todas as edições do Oscar que aconteceu na noite de ontem (27), em Los Angeles foi protagonizado por Chris Rock e Will Smith. Rock subiu ao palco para apresentar a categoria de 'Melhor documentário em longa-metragem'.


Em determinado momento de sua apresentação, o comediante e ator fez uma piada sobre Jada Pinkett-Smith, mulher de Will Smith, estar careca. Rock disse que Jada estava parecida com uma G.I. Jane, versão feminina da elite da Marinha Americana por causa de sua careca, fazendo uma referência ao filme Até o Limite da Honra, filme protagonizado pela atriz Demi Moore que ficou careca para o longa.


Chris Rock leva soco de Will Smith



"Vai ter o G.I. Jane 2", disse Chris, falando o nome do filme em inglês. Will, que ainda não tinha levado o prêmio de Melhor Ator por King Richard: Criando Campeãs, correu para o palco, deu um tapa no rosto de Chris, voltou para o seu lugar na plateia e então gritou duas vezes a plenos pulmões de seu lugar da plateia: "Mantenha o nome da minha esposa fora da p* da sua boca". Chris Rock ficou no palco e sem reação. A atriz Lupita Nyong'o, que estava sentada ao lado de Will, estava claramente assustada. Jada Pinkett-Smith já falou abertamente sobre sofrer de alopecia, uma doença que provoca perda de cabelo.


Após esse climão, a premiação seguiu normalmente, com os presentes na cerimônia e a audiência em todo o mundo tentando entender o que havia acontecido. Quase no fim da premiação, Will Smith subiu novamente ao palco, mas dessa vez para receber o Oscar de melhor ator por sua atuação impecável em King Richard: Criando Campeãs.


Em um discurso envolvo em muita emoção e lágrimas, o ator pediu desculpas aos membros da Academia. Leia na íntegra:


"Richard Williams era um defensor feroz de sua família. Nesse momento da minha vida, estou tomado pelo o que Deus me pediu para ser e fazer nesse mundo. Fazendo esse filme, eu pude proteger Aunjanue Ellis (atriz de 'King Richards'), uma das mulheres mais fortes e delicadas que já conheci; pude proteger Saniyya e Demi (que vivem Venus e Serena Williams). Na minha vida, nesse momento, fui chamado para amar as pessoas, proteger as pessoas e ser um rio para meu povo. Eu sei que, para fazermos isso, você precisa aceitar abusos, as pessoas falam bobagens sobre você e desrespeitam você, e você tem que sorrir e fazer de conta que está tudo bem. Agradeço Venus e Serena e toda a família Williams por confiar em mim, confiar sua história a mim. Quero ser embaixador do amor, cuidado e preocupação.


Peço desculpas aos membros da Academia e todos os outros indicados.


Esse é um momento lindo. Não estou chorando por ganhar um prêmio, não é sobre ganhar um prêmio para mim. Diz respeito levar luz para as pessoas. A arte imita a vida. Eu pareço o pai maluco exatamente como falaram sobre o Richard Williams, mas o amor faz você fazer coisas doidas.


Obrigado por essa honra, por esse momento, agradeço em nome de Richard e família Williams e espero que a Academia me convide para a próxima festa."



CONFIRA OS PREMIADOS


Melhor filme

  • Belfast

  • No Ritmo do Coração

  • Não Olhe Para Cima

  • Drive My Car

  • Duna

  • King Richard: Criando Campeãs

  • Licorice Pizza

  • O Beco do Pesadelo

  • Ataque dos Cães

  • Amor, Sublime Amor


Melhor atriz

  • Jessica Chastain, por Os Olhos de Tammy Faye

  • Olivia Colman, por A Filha Perdida

  • Penélope Cruz, por Mães Paralelas

  • Nicole Kidman, por Apresentando os Ricardos

  • Kristen Stewart, por Spencer


Melhor ator

  • Javier Bardem, por Apresentando os Ricardos

  • Benedict Cumberbatch, por Ataque dos Cães

  • Andrew Garfield, por Tick, Tick... Boom!

  • Will Smith, por King Richard: Criando Campeãs

  • Denzel Washington, por A Tragédia de Macbeth


Melhor atriz coadjuvante

  • Jessie Buckley, por A Filha Perdida

  • Ariana DeBose, por Amor, Sublime Amor

  • Judi Dench, por Belfast

  • Kirsten Dunst, por Ataque dos Cães

  • Aunjanue Ellis, por King Richard: Criando Campeãs


Melhor ator coadjuvante

  • Ciarán Hinds, por Belfast

  • Troy Kotsur, por No Ritmo do Coração

  • Jesse Plemons, por Ataque dos Cães

  • J.K. Simmons, por Apresentando os Ricardos

  • Kodi Smit-McPhee, por Ataque dos Cães


Melhor direção

  • Kenneth Branagh, por Belfast

  • Ryûsuke Hamaguchi, por Drive My Car

  • Paul Thomas Anderson, por Licorice Pizza

  • Jane Campion, por Ataque dos Cães

  • Steven Spielberg, por Amor, Sublime Amor


Melhor roteiro original

  • Kenneth Branagh, por Belfast

  • Adam McKay, por Não Olhe Para Cima

  • Zach Baylin, por King Richard: Criando Campeãs

  • Paul Thomas Anderson, por Licorice Pizza

  • Eskil Vogt & Joachim Trier, por A Pior Pessoa do Mundo


Melhor roteiro adaptado

  • Siân Heder, por No Ritmo do Coração

  • Ryûsuke Hamaguchi & Takamasa Oe, por Drive My Car

  • Jon Spaiths, Denis Villeneuve & Eric Roth, por Duna

  • Maggie Gyllenhaal, por A Filha Perdida

  • Jane Campion, por Ataque dos Cães


Melhor fotografia

  • Greig Fraser, por Duna

  • Dan Lautsen, por O Beco do Pesadelo

  • Ari Wegner, por Ataque dos Cães

  • Bruno Delbonnel, por A Tragédia de Macbeth

  • Janusz Kominski, por Amor, Sublime Amor


Melhor trilha sonora original

  • Nicholas Britell, por Não Olhe Para Cima

  • Hans Zimmer, por Duna

  • Germaine Franco, por Encanto

  • Alberto Iglesias, por Mães Paralelas

  • Jonny Greenwood, por Ataque dos Cães


Melhor canção original

  • Be Alive, de King Richard: Criando Campeãs

  • Dos Oruguitas, de Encanto

  • Down to Joy, de Belfast

  • No Time to Die, de 007 - Sem Tempo Para Morrer

  • Somehow You Do, de Four Good Days


Melhor som

  • Belfast

  • Duna

  • 007 - Sem Tempo Para Morrer

  • Ataque dos Cães

  • Amor, Sublime Amor


Melhor edição

  • Hank Corwin, por Não Olhe Para Cima

  • Joe Walker, por Duna

  • Pamela Martin, por King Richard: Criando Campeãs

  • Peter Sciberras, por Ataque dos Cães

  • Myron Kerstein & Andrew Weisblum, por Tick, Tick... Boom!


Melhores efeitos visuais

  • Duna

  • Free Guy: Assumindo o Controle

  • 007 - Sem Tempo Para Morrer

  • Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

  • Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa


Melhor figurino

  • Jenny Beavan, por Cruella

  • Massimo Cantini Parrini & Jacqueline Durran, por Cyrano

  • Jacqueline West & Robert Morgan, por Duna

  • Luis Sequeira, por O Beco do Pesadelo

  • Paul Tazewell, por Amor, Sublime Amor


Melhor cabelo e maquiagem

  • Um Príncipe em Nova York 2

  • Cruella

  • Duna

  • Os Olhos de Tammy Faye

  • Casa Gucci


Melhor design de produção

  • Patrick Vermette, por Duna

  • Tamara Deverell, por O Beco do Pesadelo

  • Grant Major, por Ataque dos Cães

  • Stefan Decbant, por A Tragédia de Macbeth

  • Adam Stockhausen, por Amor, Sublime Amor


Melhor filme internacional

  • Drive My Car (Japão)

  • Flee (Dinamarca)

  • A Mão de Deus (Itália)

  • Lunana: A Yak in the Classroom (Butão)

  • A Pior Pessoa do Mundo (Noruega)


Melhor documentário em longa-metragem

  • Ascension

  • Attica

  • Flee

  • Summer of Soul (... ou Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada)

  • Writing with Fire


Melhor documentário em curta-metragem

  • Audible

  • Lead Me Home

  • The Queen of Basketball

  • Three Songs for Ben Azir

  • When We Were Bullies


Melhor longa-metragem de animação

  • Encanto

  • Flee

  • Luca

  • A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

  • Raya e o Último Dragão


Melhor curta-metragem de animação

  • Affairs of the Art

  • Bestia

  • Boxballe

  • Robin Robin

  • The Windshield Wiper


Melhor curta-metragem em live-action

  • Ala Kachuu - Take and Run

  • The Dress

  • The Long Goodbye

  • On My Mind

  • Please Hold