Carregando ...
 
Buscar

Prefeitura de SP inaugura mais uma unidade do projeto "Escola Municipal de Iniciação Artística

Projeto é mais uma alternativa para o desenvolvimento das crianças da cidade




A Prefeitura de São Paulo inaugurou na última terça-feira (29), mais uma unidade do projeto "Escola Municipal de Iniciação Artística".


O projeto ainda terá mais três unidades até o fim do ano:


  • Zona Oeste: Parque Chácara do Jockey;

  • Zona Leste: Parque Chácara das Flores

  • Zona Sul: Casa de Cultura de Parelheiros.


Duas dessas unidades são implementadas em parceria entre as secretarias da Cultura e do Verde e do Meio Ambiente.


Para o prefeito, o projeto é mais uma alternativa para o desenvolvimento das crianças da cidade. “A Prefeitura realiza um trabalho muito grande em benefício dos menores. Temos uma gigante responsabilidade com as crianças. Não há mais déficit de vagas em creches, São Paulo se tornou a capital da vacina contra o Covid-19 e agora criamos mais espaços para as crianças realizarem seus aprendizados e atividades culturais em todas as regiões da cidade”, disse Ricardo Nunes.



Confira o informativo




Até 2024 o plano de expansão do projeto tem como previsão, dobrar a quantidade de novas vagas para crianças entre 5 a 7 anos de idade. Foram contratados 70 artistas educadores e quatro articuladoras, em processo seletivo com mais de mil inscritos. Pela primeira vez, ações afirmativas para artistas educadores pretos, pardos e indígenas foram realizadas, assim como para as vagas de crianças, buscando a equidade racial segundo censo do IBGE. Ao longo dos próximos três anos, o investimento total da Secretaria da Cultura é de aproximadamente R$ 30 milhões, com contrato de gestão compartilhada.


“Esse é um momento histórico para a cidade de São Paulo: vamos expandir o ensino inovador da Emia para as periferias e contemplar ainda mais jovens, em todas as regiões da cidade. As crianças terão oportunidades de desenvolver suas habilidades em todas as áreas artísticas. A expansão nos quatro cantos da cidade começa aqui em Brasilândia”, disse a secretária da Cultura, Aline Torres. “O ensino da Emia introduz as crianças para o mundo das artes e trabalha a criatividade, o lúdico, e abre muitas possibilidades para os jovens de São Paulo, como aconteceu com Maria Gadu, que é fruto da Emia”, completou Aline.


Segundo a coordenadora de Teatro da Emia, Telma Dias, o aprendizado artístico melhora em vários os aspectos as crianças. “Aquelas que passam pela Emia tornam-se pessoas com mais empatias, mais sensíveis com possibilidade de se formarem em artistas”, disse Tema



Novas unidades


A escolha dos locais visa descentralizar e expandir a história de sucesso da Emia, única escola pública de educação artística da cidade. Foram estabelecidas parcerias entre Secretarias para levar à população uma política pública comprometida com a infância, a iniciação e formação artística e cultural, entendendo a sua fundamental importância no processo de construção de cidadania.


Entre os aspectos que justificam essas escolhas estão a localização na periferia; as estruturas internas e externas dos locais, pensando na viabilidade do crescimento da escola, com novas turmas todos os anos, e também na realização das atividades artístico-pedagógicas; e comum acordo entre a Secretaria e a gestão do espaço.


A previsão de conclusão das obras para a adaptação e melhoria dos espaços é para o primeiro semestre. As obras são realizadas pela SMC, com exceção do Parque Chácara das Flores, que será conduzida pela SVMA. As datas de inauguração das novas EMIAs e as datas de inscrições para novas turmas serão divulgadas em breve. Já na unidade da Brasilândia, as inscrições acontecem entre os dias 1º a 7 de abril, na própria sede.





#CIDADES