Carregando ...
 
Buscar

Qual a importância em ceder dentro da relação amorosa?

Na relação, nem sempre se deve priorizar os próprios quereres, e isso deve ser mentalizado pelos dois



Dentro de uma relação amorosa, existe uma linha muito tênue entre ceder e se anular, e é por isso que se deve prestar muita atenção para que os comportamentos criem apenas energias positivas e benefícios para o casal. O interesse de possuir um relacionamento longevo faz com que casais que, mesmo que possuam conflitos, no momento de ceder, busquem saídas para resolver a situação que inclua o fortalecimento da harmonia do casal através da espiritualidade.

De acordo com o IBGE, Nordeste e Sul do Brasil têm os casamentos mais duradouros, em 2020, esses números eram de 14,7 anos e 14,2 anos, respectivamente. Por outro lado, o tempo médio de duração de um casamento antes do divórcio fica na faixa dos 12 anos nas demais regiões: 12,3 anos no Centro-Oeste, 12,4 anos no Norte e 12,9 anos no Sudeste.

“Todo casal tem suas particularidades e alguns pontos pesam mais que outros, mas o que é muito importante na relação é saber ceder. Nem sempre uma pessoa deve priorizar os próprios quereres, e isso deve ser entendido pelos dois, pois haverá dia que é preciso seguir a ideia ou dica do parceiro(a). Desde que não esteja se anulando, isso cria uma relação de cumplicidade, confiança e amor”, explica Maicon Paiva, especialista em relacionamentos e fundador da Casa de Apoio Espaço Recomeçar.

Em qualquer relação amorosa, alguém, em algum momento, precisa ceder. Nem sempre de forma explícita, mas o casal precisa entrar em acordo diante de determinadas situações. Ceder é um dos comportamentos mais importantes na relação, é o ponto de cumplicidade, respeito e companheirismo. Faz com que os casais se sintam mais conectados e unidos, mas a atitude não deve ser feita por apenas uma das partes.

Qual o grande cuidado no momento de ceder dentro da relação?

O grande fator a ser observado com certa assertividade é tomar cuidado para não se anular, sobretudo quando abre mão com uma frequência maior que a do parceiro(a) e muitas vezes deixa de fazer suas vontades. Não se deve deixar de lado a individualidade e as coisas que lhe fazem bem, desde as atividades de interesse até se relacionar com pessoas que tem carinho e apreço.

Quando a relação desanda, é possível buscar alternativas práticas que fomentem as energias boas do casal, conseguindo viver com mais equilíbrio. No Espaço Recomeçar, é possível realizar trabalhos como o Casamento Espiritual. Nele, as energias são enviadas para o casal, assim como boas vibrações e outras práticas de magia branca que auxiliam na proteção do casal e eliminam influências negativas que possam estar afetando a harmonia da relação.

“O ideal é que haja um equilíbrio e flexibilidade na relação. Buscar ouvir de maneira mais efetiva, entender o outro e, a partir disso, criar acordos saudáveis na relação, não deixando de lado os momentos íntimos e a sós do casal. Essa ideia de ‘só faço do meu jeito e ponto final’ faz com que a relação esteja fadada ao fim. O casal que tem isso em mente tende a viver com mais facilidade uma relação duradoura”, concluiu Maicon.


Conheça o trabalho do Espaço Recomeçar que, há mais de 20 anos, atende casais que querem viver a felicidade de uma vida a dois. Saiba mais aqui!